Aprendendo com os grandes mestres: Qual a sua obra?

Tempo de leitura: 3 minutos

Na semana passada, minha mãe me convidou para ir com ela em uma palestra. Logo pensei: que chato, vou ter que ficar duas horas sentado assistindo alguém que não conheço falar de assunto de adulto… Mas sempre tem uma solução: se eu não gostar, vou jogar em meu celular, pelo menos vou conhecer mais pessoas.

E lá fomos nós, em um trânsito maluco, mais de uma hora para fazer três quilômetros.

Com um público de mais de 2.000 pessoas, subiu no palco um Senhor, parecido com Papai Noel, simpático, barbudo, com uma fala serena e ao mesmo tempo enérgica, Mario Sergio Cortella. O público vibrou tanto que resolvi prestar atenção. Ele falou de várias coisas, sobre o significado da vida, e sobre qual a marca que deixamos no mundo. Eu adorei a palestra!

Já em casa, minha mãe me mostrou um de seus livros, Qual a sua obra?, bastante rabiscado pelo uso, o que me ajudou a fazer uma leitura dinâmica nas partes mais importantes.

Vou citar as que eu mais gostei:

  1. Enxergar um significado maior na vida: existem razões mais importantes que o imediato. Eu costumo falar isso quando alguém quer comprar alguma coisa, mas tem que fazer uma escolha, entre gastar agora ou guardar para algo melhor. Se você gastar todo o dinheiro, ficará sem nada.
  2. Cada um de nós é único. Eu sempre digo que não sou especial, sou um menino comum como tantos outros. Descobri algo que tenho facilidade de aprender e me dedico bastante para fazer bem feito. Tenho um amigo que monta o cubo mágico em 30 segundos. Ele me ensina com o cubo mágico e eu o ensino sobre dinheiro. Cada um se especializa no que é bom e ensina para os outros.
  3. O grande estrago das pequenas ondas: O desperdício é ruim para todos, pois ninguém aproveita. Estou falando de economizar energia, água, material escolar. Faz bem para a natureza e para o bolso. Ou seu ou de sua família, que é a mesma coisa.
  4. Aproveitar as oportunidades. O meu vô Nelson tem uma frase bem engraçada: o cavalo encilhado não fica passando a toda hora na frente, se passar, pula que é seu. O Cortella falou das oportunidades que aparecem e muitas vezes estamos dormindo ou não atentos. Já pensou se aparece um jeito de ganhar uma graninha extra, e você não está nem aí? Vai parar na mão de outro!
  5. Fazer o seu melhor. Tem gente que se esforça para tirar a média, nota 7 já passa. Mas se eu estudar para tirar 7, estou deixando de aprender algo. E se eu deixar de aprender, posso emburrecer. Quanto melhor eu aproveitar o meu tempo estudando, fazendo bem feito, melhor, pois farei mais rápido e os resultados serão melhores.

Bom, enquanto estou aqui filosofando sobre o que aprendi, desafio você, amiguinho, a aprender com os grandes mestres, o seu caminho pode ser bem mais curto e certeiro!

Dica do Érico: Quando for fazer algo, faça bem feito. Se você pode tirar 10 em uma prova, estude para tirar 10. A média faz passar, mas notas melhores fazem um campeão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *