O que você quer ser quando crescer?

Tempo de leitura: 3 minutos

Você já pensou sobre o quer ser quando crescer? Engenheiro, cientista, professor ou até mesmo filósofo? Pode parecer uma decisão difícil de tomar quando ainda nem conhecemos direito as profissões, até porque é uma decisão por muitas vezes para toda a vida.

Acontece que para viver bem, pagar as contas etc. é preciso de dinheiro. E para ter dinheiro, tem que ter uma profissão quando for adulto. Já criança é preciso escolher entre fazer um curso técnico ou se preparar para o vestibular, assim como decidir qual faculdade irá fazer, onde, como, com que dinheiro. Por isso é importante ficar de olho e pensar no que gostaria de fazer, para ser feliz também durante o caminho.

Bem… para começar eu vou falar sobre os meus sonhos de criança.

Quando eu tinha apenas 3 anos e viajava com meus pais de avião, eu fiquei fascinado! Todas as vezes eu queria entrar na cabine do avião e olhar aquela infinidade de painéis e controles! Estava decidido, seria piloto de avião! Falava isso para todas as aeromoças e sempre conseguia a brechinha para dar um oi para o comandante e aprender um pouco mais.

Depois de um tempo, comecei a ter interesse em utilizar recicláveis, garrafas PETs e papelões, para construir coisas com isso, fazia foguete, robô e até móveis! Como eu gostava de construir, pensei em ser engenheiro aeronáutico (em outras palavras, construtor de avião) porque eu ainda gostava muito de aviões, não queria abrir mão de um sonho tão antigo…

Sem ter muita matéria prima, aprendi a fazer origamis (coisa que faço até hoje), e fiz vários modelos de avião, um que voava longe, outro que fazia piruetas no ar, e me divertia pra caramba. Desenvolvendo a habilidade das dobraduras, fiz muitas outras coisas, robôs, equipamentos, bonecos do minecraft. Neste tempo, meu Tio André estava fazendo engenharia civil, e achei que poderia ser uma boa profissão.

Quando cresci um pouco mais, passei a gostar de discutir, trocar ideias e achar soluções, nesse tempo pensei até em ser advogado, defender o que é justo e certo, como por exemplo pessoas acusadas de um crime que não cometeram, ou quando alguém não quer cumprir o que foi combinado. Cheguei à uma conclusão, eu gosto bastante de falar, meus professores podem falar he he.

O tempo passou, escrevi o primeiro livro… o segundo… Por ser muito jovem, começaram a me chamar para entrevistas para contar a minha história. Por isso hoje penso em continuar a carreira de escritor, e até de palestrante. Além de fazer uma coisa que eu gosto, poderei usar os melhores pontos do que eu sempre tive em mente:

– Improviso: caso der algo errado enquanto pilotasse o avião, precisaria improvisar para pousar, e na palestra preciso de improviso caso eu esqueça o que dizer ou alguém fizer pergunta difícil.

– Criatividade: Para criar/montar novo modelos de avião, precisa criatividade, e na palestra preciso construir o roteiro, apresentar e também quando for improvisar.

– Comunicar: Para ser advogado, é necessário saber expressar opiniões, e na palestra tenho que me comunicar com o público, interagir e ser engraçado sem perder o foco.

Ainda posso mudar de ideia, eu tenho tempo para isso, mas já estou construindo uma linha de pensamento que vai me levar a ser um bom profissional, a fazer o que eu gosto e a ganhar dinheiro com isso!

E você? Já pensou o que quer ser quando crescer? Dinheiro não cai do céu, é preciso fazê-lo. E se for feito com algo prazeroso, a felicidade é a consequência!

 

Dica do Érico: Conheça as diversas profissões, para que você possa identificar as suas preferências e talento em algo que lhe faça feliz e lhe proporcione dinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *