Por que dinheiro é importante? Lições do Cerbasi

Tempo de leitura: 3 minutos

Tinha uma época que eu não sabia o que era dinheiro. Eu nasci em uma família de classe média, não tive excessos, mas nunca me faltou nada.

Só que o mundo é feito de tentações, em todo lugar tem um sorvetinho, uma pipoca, um hambúrguer, e eu achava que aquilo era para comprar sempre. Como vocês já devem ter lido na minha história, um dia minha mãe se cansou das “pedições” e resolveu me dar semanada. No começo gastei tudo, depois aprendi a poupar. Só que era tudo por impulso, ou eu gastava tudo, ou eu poupava tudo. E isso foi uns dois anos.

No fim do ano, percebi que ter bastante dinheiro é bom, mas ver todas aquelas guloseimas sem aproveitar me doía. Aí, com a orientação dos meus pais, eu comecei a guardar um pouco e gastar um pouco.

Quando, aos 11 anos, eu escrevi meu primeiro livro “Como conquistar seu próprio dinheiro” e fui convidado pra participar do Programa “Encontro” com Fátima Bernardes. Lá eu conheci um cara muito especial, Gustavo Cerbasi. Conversamos nos bastidores quase uma hora, e era engraçado, porque as coisas que ele falava eram muito parecidas com as que a minha mãe me ensinava. Aí eu pensei: poxa cara, não é que minha mãe tinha razão?

Na volta para o aeroporto, minha mãe me contou:

– Filho, Gustavo Cerbasi é um escritor extraordinário, os livros dele, principalmente o “Casais inteligentes enriquecem juntos” e “Pais inteligentes enriquecem seus filhos” são muito importantes e nos ajudam na sua educação. Muitas orientações que você tem vêm dele.

Como sou curioso, procurei saber mais sobre o Gustavo. Fui para o Youtube e o Facebook, e achei facilmente muita coisa. É fascinante como aquele material pode ajudar até um adolescente como eu, que está no caminho da construção de riqueza. O Cerbasi tem uma série de vídeos, um deles traz os passos sobre o que fazer com o dinheiro, e foi isso que eu coloquei em prática:

Primeiro: guarde sempre uma parte para os seus sonhos. Se você deixar para guardar amanhã, não vai sobrar e não vai realizar nada. Então, sonhos primeiro!

Segundo: guarde uma parte para sua qualidade de vida. Aqui entram os passeios, cinema, lanches extras, aquilo que você quer experimentar, se divertir, ser feliz!

Terceiro: sobre o restante, encaixe as despesas fixas, se não der, diminua as contas. Hoje, as minhas despesas fixas são pagas pelos meus pais, moradia, transporte, escola. Mas o vídeo traz dicas bem legais para os adultos fazerem esta conta fechar.

São passos simples, que invertem a forma de pensar das famílias, nos faz refletir e planejar, e isso é bom. E o melhor de tudo: funciona!

Sobre dinheiro, saúde e família, temos que tomar atitudes instantâneas, ou seja, não esperar amanhã.

Pensando nessas atitudes lembrei de uma outra história: meu Vô Nelson, que é agricultor e mora no Rio Grande do Sul, tem muitos cachorros. Os cachorros gostam de brincar com o rabo, ficam um tempão correndo em voltas.  Assim uma pessoa que trabalha só para pagar contas e não realiza sonhos ou não aproveita a vida é igual um cachorro correndo atrás do rabo: não sai do lugar.

Desde cedo eu aprendi a guardar uma parte e a aproveitar o que o dinheiro tem de bom. Quando eu tiver contas para pagar, vou saber como escolher o mais importante, que eu aprendi com o Gustavo Cerbasi: enriquecer é uma questão de escolha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *