Aprendendo a aprender: lições sobre vida e dinheiro

Tempo de leitura: 3 minutos

Uma das minhas maiores dificuldades é transformar coisas do dia a dia ou coisas interessantes em conteúdo. Se você consegue a inspiração certa fica razoavelmente fácil. Esse é um ponto bem crucial quando se quer ter uma ideia muito criativa (coisa que talvez eu esteja sem, agora que estou escrevendo sobre escrever).

Não estou maluco, estou fazendo uma “metalinguagem”, que é mencionar um texto no texto, como se fosse um filme sobre como fazer um filme (por exemplo a série ICarly).

Como não gosto muito de imaginar, mas de escrever sobre coisas reais, muitas vezes quando já escrevi tudo e ainda não vivi nada diferente desde então, as ideias acabam, porque esse é o primeiro passo, ter uma ideia de alguma coisa… Aí eu tento lembrar umas conversas mais aleatórias que eu tive ou pensamentos que eu viajei um pouco como inspiração…

Por exemplo, atrasado, se refere à palavra atrás, então porque quando uma pessoa chega atrasado ela chega adiante, ou seja, depois do tempo marcado? Sendo a mesma coisa para o adiantado… chegou antes da hora marcada e não adiante…

Conhecimento é poder:

Pensamentos aleatórios surgem do nada, então uma coisa que eu faço é olhar canais do youtube de humor e que haja piadas, para destravar a mente e ver se isso me leva a criar algo.

Tipo o gato da Alice no país das maravilhas, porque ele fala e some, deixando o mistério no ar, e deixa só o seu sorriso por um tempo, incentivando a refletir.

Ou um quadro famoso cheio de rabiscos (chamado pela arte de pintura abstrata) e as pessoas pensam: oh que gênio! Conseguiu extrair o belo do nada, na verdade quem extraiu foi quem olhou. Assim, um mesmo texto pode ser bem interpretado por quem quer ter mais sucesso, ou deixado de lado por quem não se importa, independentemente do talento do autor.

Há algum tempo eu escrevi um artigo transformando uma coisa simples em uma lição: eu acordei cedo e liguei a TV, estava passando Tom e Jerry, ai eu comecei a pensar sobre o desenho enquanto dava umas risadas e lembrava da minha infância… Um gato que corre atrás do rato, quando ele consegue pegar, o rato foge novamente ou o Tom só começa a caçoar dele enquanto usa-o como uma bola de ping-pong ou alguma outra coisa malvada.

Você está conseguindo perceber você e seu dinheiro neste desenho? Este é o segundo passo, ver as coisas na base delas e depois interpretá-las. Depois de achar uma ideia, está na hora de enxergar além do óbvio, como por exemplo no Tom e Jerry, o gato corre atrás do rato, se eu quero transformar isso em dinheiro, só preciso trocar as palavras, em vez daquela frase eu poderia colocar, “eu corro atrás do dinheiro”, e percebi que é verdade, porque não se ganha dinheiro simplesmente sentado na frente de um computador (a menos que seja um youtuber ou trabalha de alguma forma na internet).

O ideal é que você consiga um relacionamento tão bom com seu dinheiro que não precise correr atrás dele ou mesmo judiá-lo, mas que aproveitem cada fato do cotidiano para viverem bem.

Então pegando essa solução, eu já tenho algo que eu queria, e já dá até para escrever uma frase: “em vez de fazer como o Tom, que corre o tempo todo atrás do Jerry e vive se dando mal, nós precisamos ser amigos de nosso dinheiro e viver em harmonia”.

Viu só como a filosofia faz parte de nossa vida? Aprender a aprender com cada fato, cada história, sair do centro e olhar como se fosse de fora, Isto vai fazer com que a gente aprenda a usufruir mais de cada instante, o que é bem melhor!

Então é isso, até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *