Guardar para o que eu preciso – Randrey de Oliveira (concurso cultural)

Tempo de leitura: 1 minuto

Olá galera, hoje a nossa história vem de um desenho do Randrey de Oliveira, da Escola Municipal de Ensino Integral Érico Veríssimo, uma escola com o meu nome! Quase, né? um dia eu chego lá.

Já tive acesso às obras do Érico Veríssimo na minha escola, uma grande personalidade da literatura brasileira. Está em minha lista de leitura o seu livro “Gato preto em campo de neve”, ainda não o encontrei mas parece interessante, pois eu adoro viajar e acredito que vou gostar de saber como era uma viagem em 1941, sem celular, GPS e internet.

Mas voltamos ao nosso amigo Randrey, ele participou do concurso de histórias, promovido pelo Sicredi após uma palestra que eu fiz na cidade de Lucas do Rio Verde MT durante a semana ENEF Estratégia Nacional de Educação Financeira e foi um dos destaques. Ele tem 9 anos e está no 4º.ano do ensino fundamental. Em seu desenho, ele traz a reflexão de que é preciso guardar o seu dinheiro em um banco para comprar o que ele precisa, como calçados, roupas, blusa.

Duas coisas muito importantes nesta atitude que o Randrey sugere:

  1. Guarde o seu dinheiro, senão você gasta em coisas menos importantes. “Dinheiro na mão é vendaval” tem um samba do Paulinho da Viola que diz. A música é de 1975, mas o Spotfy me trouxe ela, e, falando em dinheiro, chamou minha atenção!
  2. Dinheiro guardado em casa perde valor, as coisas sobem (inflação) e o dinheiro fica. Se você aplicar o seu dinheiro, ele vai render, como eu sempre digo, dá filhotes!

Então a dica do nosso amigo, que eu concordo totalmente, é: guarde seu dinheiro e faça-o render!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *